Menu

Uma guimba de cigarro sozinha no chão parece não incomodar muita gente. Agora multiplique essa guimba por uma grande quantidade, como aquelas encontradas nos redutos boêmios, enterradas nas areias das praias ou então presas entre as pedras portuguesas que estampam as ruas da cidade. Lembre também que a guimba nunca está sozinha, tem o canudinho do coco, o saco plástico que aparece voando entre os carros e ainda o chiclete que gruda no sapato do desavisado.

Para mostra como pequenos lixos são na verdade um grande problema, o Rio Eu Amo Eu Cuido resolveu dar uma “forcinha” na visibilidade, expondo-os pela cidade como esculturas em tamanho gigante a partir do dia 5 de setembro. Serão quatro instalações, de 4 metros de altura cada, fixadas em pontos específicos das zonas sul, norte e oeste e Centro. Com o mote “Incomoda, né?!”, o movimento quer mostrar a importância da questão do descarte irregular do correto do lixo.

A ideia é chamar atenção para algo que costuma ser minimizado na lista de problemas da cidade – o lixo. O Rio é considerado a 9a cidade mais suja do mundo aos olhos dos turistas, e essa posição não é motivo de orgulho para ninguém. Ainda mais quando essa “conquista” é fruto de ações da população. Vamos aumentar em tamanho gigante algo que normalmente é invisível aos rotineiros olhos cariocas.

A limpeza urbana e o descarte de pequenos detritos são temas que o movimento quer discutir, com foco em transformar a atitude dos cidadãos. Sem apontar dedos, o Rio Eu Amo Eu Cuido aposta em ações irreverentes, que utilizam uma forma criativa e descontraída para passar a mensagem, e ajudar a combater o problema.

 

Compartilhe este artigo!
  TOPO